Organizada e Segura

Uma cidade estruturada, bem cuidada, sem riscos, com mobilidade e segurança. Essas são condições fundamentais para ampliar a qualidade de vida das pessoas e melhorar a organização do espaço público. Esse grande desafio já vem sendo cumprido em Niterói, com resultados práticos disponíveis para a população.

A entrega do Túnel Charitas-Cafubá, uma importante obra viária esperada pelos niteroienses há várias décadas; a inauguração do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), que monitora a cidade por meio de câmeras; e as obras de contenção de encostas e drenagem em 50 pontos da cidade, além do monitoramento das áreas de risco, são algumas das conquistas que comprovam os importantes avanços para o município nesses últimos 4 anos.

Niterói de Bicicleta

As cidades mais evoluídas do mundo investem cada vez mais em alternativas sustentáveis e saudáveis de transporte. E Niterói, com sua bela geografia, não fica de fora desse conceito de mobilidade.

Em 2013, a cidade contava com 18 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas mas, ao final de 2016, o total contabilizado já se aproximava de 40 quilômetros com a construção de novas rotas cicláveis.

Niterói também se mostrou pioneira no cenário nacional ao construir o primeiro bicicletário público do país. Localizado na Praça Arariboia, o espaço é coberto e gratuito. Pela cidade ainda foram instalados bicicletários tradicionais, oferecendo mais 1.220 vagas para bicicletas. O resultado foi o aumento do número de ciclistas. Na Avenida Amaral Peixoto, houve incremento de 48% de ciclistas, enquanto na Avenida Roberto Silveira o aumento foi de 67%.

Mobilidade Sustentável – TransOceânica e
estudo do VLT

Mudar o modelo de transporte da cidade, buscando uma alternativa sustentável e integrada ao meio ambiente foram as premissas básicas da construção da TransOceânica, maior obra de mobilidade da história de Niterói.

Em menos de dois anos após a aprovação do financiamento da obra, o túnel que liga a Região Oceânica a Charitas foi perfurado e concluído. Ao mesmo tempo, as estações Charitas e Engenho do Mato do BHS (Ônibus que percorrerão o corredor exclusivo) foram finalizadas. Ao todo na embocadura de Charitas, 71 desapropriações foram realizadas e todo o trabalho de construção da via vem sendo acompanhado por monitoramento ambiental, arqueológico e por trabalho técnico social.

A primeira etapa para verificar a viabilidade de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Charitas ao centro da cidade também foi concluída, com a aproximação de agência francesa de desenvolvimento e seminário internacional sobre o tema realizado em Niterói.

Plano Diretor de Niterói

O Plano Diretor é a ferramenta que orienta o planejamento urbano e o processo de desenvolvimento de uma cidade.

Elaborado em 1992, o Plano Diretor de Niterói (PDN) não passava por uma revisão desde então. Atualizar e aprimorar o PDN, com ampla participação da sociedade, foram as metas traçadas pela municipalidade, que fez um diagnóstico da situação e realizou câmaras temáticas sobre o tema, além de 13 audiências públicas. Nos encontros, foram debatidas as diretrizes, além de ouvir críticas e sugestões da população. Em seguida, foram elaboradas estratégias e o PDN foi finalizado para que o executivo encaminhasse à Câmara.

Niterói Resiliente

Resiliência é a capacidade de enfrentar, resistir e superar situações adversas. E Niterói vem mostrando cada vez mais ser uma cidade resiliente ao superar o trauma da maior tragédia natural de sua história: as chuvas de 2010.

O município se preparou para evitar que a situação se repita, investindo em ações e projetos na área da Defesa Civil e de apoio a comunidades. Foram criados 43 Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudecs), 50 encostas da cidade já receberam obras de contenção e um modelo de gestão para remoção e amparo a famílias, reunindo diversas secretarias, já foi elaborado.

A própria Defesa Civil também ganhou uma nova sede e um sistema de alerta com 30 sirenes e 26 pluviômetros em diversas comunidades do município. O Parque das Águas receberá uma estação meteorológica.

Nova Guarda Municipal

A Guarda Municipal é a responsável pela proteção dos edifícios e do patrimônio público municipal. Cabe a ela, também, a função de ordenamento das ruas e auxílio no patrulhamento escolar. Assim, reforçar sua atuação contribui diretamente para a melhor organização da cidade e o aumento da segurança.

Por isso, através de concurso público, a Guarda Municipal passou a contar com quase 600 homens, o dobro do efetivo em 2013. A corporação também recebeu investimentos em infraestrutura e capacitação.

Na Cidade da Ordem Pública Marcus Jardim, nova sede da Guarda Municipal construída no Barreto, os agentes recebem todo tipo de treinamento, desde a teoria às ações práticas.

Requalificação Urbana do Centro

A recuperação da região central de Niterói é estratégica para o desenvolvimento da cidade e para melhorar a qualidade de vida dos niteroienses. A exemplo do que ocorreu em cidades como Barcelona, Lisboa e Rio de Janeiro, a frente marítima de Niterói tem grande potencial de expansão. Por isso foi elaborada, criada e regulamentada a Operação Urbana Consorciada (OUC), cujo objetivo é requalificar o Centro de Niterói e atrair moradores e novos modelos de comércio para a região.

Além da contratação de empresa para elaborar estudos  de impacto ambiental, novos empreendimentos foram autorizados dentro dos novos parâmetros de construção determinados pela Lei da Outorga Onerosa.

CISP – Centro Integrado de Segurança Pública

Segurança é uma atribuição constitucional da União e dos estados. Porém, a participação das prefeituras para auxiliar as forças policiais é importante ferramenta para o combate à violência.

E a Prefeitura de Niterói investiu em ações para para cooperar com as forças policiais do Estado. Uma dessas iniciativas foi a construção do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), uma moderna central de monitoramento em tempo real da cidade com o auxílio de centenas de câmeras de alta tecnologia.

Localizado em Piratininga, na Região Oceânica, o Cisp é um investimento de R$ 20 milhões que ao final de 2016 já contava com 140 câmeras, 12 leitores de placas de veículos instalados na Ponte Rio-Niterói, 80 botões de alerta em áreas estratégicas do município, 40 sistemas de rastreamento de viaturas de forças de segurança, 3 câmeras móveis (360 graus),  Centro de Comando e  Controle (CCO), 2 Controles de Tráfego Por Áreas (CTAs), 9 controladores de sinais e 4 painéis de mensagens variáveis, entre outras iniciativas também já concluídas.